Principiante. Como não pensamos nisso antes?

Nosso trânsito é muito violento: mata mais de 37 mil pessoas por ano. Mas isso vai acabar, porque depois de muita pesquisa e um dedicado estudo, descobrimos que é tudo uma questão de azar de principiante.

A comissão de viação e transportes da câmara dos deputados aprovou no dia 25/04/2018 o PL6098/2016 e o PL7502/2017, de autoria das deputadas Christiane Yared e Mariana Carvalho.

Veja o fundamento de um dos projetos:

o autor da proposta original justifica que nos primeiros 12 meses da primeira habilitação o motorista recém habilitado, sente-se inseguro para enfrentar o trânsito, cada vez mais caótico, bem como a impaciência de outros motoristas que desconhecem sua condição de iniciante. Com a utilização do adesivo sugerido, torna-se natural a tolerância no trânsito e a segurança principalmente para com os jovens, um dos objetivos principais deste projeto.

Como não pensamos nisso antes?

Basta colar nos carros um adesivo ou uma placa com o “P” de principiante e todos os motoristas ficarão tão tranquilos que tudo estará resolvido. Nada de buzinas, nada de brigas, nada de colisões. Ninguém mais vai correr tresloucadamente, ninguém vai furar o semáforo.

E você pensava que motoristas nervosos e mal-educados eram apenas pessoas que são mal-educadas por formação deficiente ou opção, pessoas que estão nervosas porque a vida não vai bem, porque o governo destrói nosso dinheiro com inflação e nos toma o resto com impostos, porque os legisladores nos empurram uma quantidade estapafúrdia de regras goela abaixo, porque há um circo de corrupção que praticamente todas as esferas do estado nos apresentam todos os dias e outras coisas do gênero.

Mas estava enganado. Nosso problema foi nunca termos criado a categoria café-com-leite para nossos motoristas.

E veja que coisa boa: além de acabar com a violência no trânsito, vamos arrecadar fundos para importantes projetos sociais com as multas que certamente virão e, é claro, promover o aquecimento da indústria de placas e adesivos. Não sei como conseguimos viver até hoje sem mais esta regrinha.

Agora o projeto segue para o senado, onde tem tudo para ser aprovado. Se você acha que pode viver sem os tranquilizadores adesivos “P”, dê um alô às autoras dos projetos e entre em contato com os senadores do teu Estado para os instruir como votar a matéria.

Compartilhe
mm

Rodrigo Martins Barbosa

Há alguns anos precisa de duas colunas do soroban para contar o tempo de advocacia. Vítima de lesão por legislação excessiva, não consegue mais acender os faróis do carro durante o dia desde a aprovação da lei 13.290/2016.